Início Política Ata fraudada e falsificação de assinaturas em Coligação de Pábio Mossoró

Ata fraudada e falsificação de assinaturas em Coligação de Pábio Mossoró

0 1000

Segundo publicação do Jornalista Helio Porto, da Rádio Mega FM, político conhecido como Miguelzinho da Saúde, ou Miguelzinho do Cais é flagrado em tentativa de fraude eleitoral, com objetivo de fortalecer coligação do grupo de Leda Borges.

Logo após registrar a ata da convenção do PRB, que firmou coligação do partido com o PR, em apoio ao candidato a prefeito Afrânio Pimentel, os dirigentes do partido se depararam com o senhor Miguelzinho do Cais, também conhecido como Miguelzinho da Saúde, que tentava registrar uma segunda ata, de alegada convenção em apoio ao candidato Pabio Mossoró (PSDB).

No susto, os dirigentes do PRB acionaram a polícia e registraram boletim de ocorrência por crimes de falsidade ideológica e falsificação de documentos. Estranhamente, o senhor Miguelzinho teria conseguido registrar uma comissão executiva do PRB, mesmo já havendo uma Comissão Executiva formada no município. Ao levantar a situação, verificou-se que a ata de fundação do diretório de Miguelzinho teria contado com grosseiras falsificações de assinaturas de alguns dirigentes do PRB.

Os dirigentes negaram a realização desta convenção apresentada por Miguelzinho e declararam que as assinaturas das atas são falsas. Declararam ainda que levarão o caso às últimas consequências cíveis, eleitorais e criminais.

O Presidente do PRB em Valparaíso de Goiás, Waldir Gianesini, declarou à Tribuna da Ride que esta convenção alegada por Miguelzinho não foi realizada e que o acusado teria fraudado documentos do partido, com o objetivo de se unir ao candidato Pábio Mossoró.

O grupo de Leda Borges já agiu anteriormente para implodir um partido, na véspera do encerramento do prazo para convenções. Em 2012, quando Leda disputava e perdeu a reeleição para Lucimar Nascimento (PT), o PSB entrou em rota de colisão, após membros ligados à chefe do PSDB de Valparaíso promoverem uma baderna sem precedentes, para impedir que a maioria absoluta registrasse a coligação com o PT de Lucimar, o que ocasionou o cancelamento da convenção do partido. Na ocasião, todos os pré-candidatos da agremiação ficaram de fora das eleições.

Esta ação criminosa é uma amostra do que são capazes de fazer os políticos ligados a Leda Borges e Marconi Perillo, para chegarem ao poder.

NENHUM COMENTÁRIO

Faça um comentário