Início Esporte

0 359

Fonte: BOL

O hospital em que a atleta brasileira Laís Souza está internada, em Salt Lake City (Estados Unidos), divulgou informações sobre o estado da brasileira nesta quinta-feira por meio de uma coletiva de imprensa. Os médicos disseram que a atleta poderá ter de continuar usando aparelhos pelo resto da vida.

Responsáveis pelo caso, Holly Ledyard e Andrew Dailey, doutores do Hospital Universitário de Utah, e Antonio Marttos, médico do COB, explicaram que as duas cirurgias pelas quais Lais passou nesta quinta foram bem sucedidas. Ela foi submetida a procedimentos de traqueostomia e gastrostomia, para respirar melhor e para alimentar-se por sonda, respectivamente.

Apesar de reiterarem que ainda é muito cedo para fazer prognósticos a longo prazo e que Lais ainda está em uma fase crítica de recuperação, os médicos admitiram que há a possibilidade de a atleta ter que continuar com o auxílio dos aparelhos para sempre.

No momento, a ex-ginasta, que segue sem movimentar os braços e as pernas, não consegue se comunicar por meio de fala, mas tanto o hospital quanto o Comitê Olímpico Brasileiro providenciaram um tablet com sensores de olhar para que ela consiga pedir coisas. Um terapeuta ocupacional vai ajudá-la nesse processo de adaptação.

De acordo com informações do canal Sportv, os médicos colocarão nos próximos dias fios no diafragma dela para que os fios soltem choques e ajudem o pulmão dela a respirar.

O hospital em que a atleta brasileira Laís Souza está internada, em Salt Lake City (Estados Unidos), divulgou informações sobre o estado da brasileira nesta quinta-feira por meio de uma coletiva de imprensa. Os médicos disseram que a atleta poderá ter de continuar usando aparelhos pelo resto da vida.

Responsáveis pelo caso, Holly Ledyard e Andrew Dailey, doutores do Hospital Universitário de Utah, e Antonio Marttos, médico do COB, explicaram que as duas cirurgias pelas quais Lais passou nesta quinta foram bem sucedidas. Ela foi submetida a procedimentos de traqueostomia e gastrostomia, para respirar melhor e para alimentar-se por sonda, respectivamente.

Apesar de reiterarem que ainda é muito cedo para fazer prognósticos a longo prazo e que Lais ainda está em uma fase crítica de recuperação, os médicos admitiram que há a possibilidade de a atleta ter que continuar com o auxílio dos aparelhos para sempre.

No momento, a ex-ginasta, que segue sem movimentar os braços e as pernas, não consegue se comunicar por meio de fala, mas tanto o hospital quanto o Comitê Olímpico Brasileiro providenciaram um tablet com sensores de olhar para que ela consiga pedir coisas. Um terapeuta ocupacional vai ajudá-la nesse processo de adaptação.

De acordo com informações do canal Sportv, os médicos colocarão nos próximos dias fios no diafragma dela para que os fios soltem choques e ajudem o pulmão dela a respirar.

0 330

Felipe Massa considerou positiva sua estreia na Williams, nesta quinta-feira, na sessão de testes de pré-temporada da Fórmula 1 na pista de Jerez, na Espanha. O brasileiro marcou o segundo melhor tempo entre os 11 carros que foram para a pista, atrás apenas da McLaren do estreante dinamarquês Kevin Magnussen.

Para o brasileiro, o que chamou a atenção foi a comparação do carro em relação ao ano anterior devido às mudanças de regulamento para o Mundial de 2014, que alteram significativamente o motor – agora, um V6 turbinado de 1,6 litro, contra 2,4 do V8 utilizado até o ano passado.

“O carro é muito diferente, em vários sentidos. É preciso entender como controlar motor, chassi, pneus e turbo, mas é divertido. Teremos muitas melhorias antes do primeiro GP e ao longo do campeonato”, comentou o brasileiro.

Segundo Massa, a prioridade no início do ano é fazer com que o carro acumule quilometragem para evitar eventuais problemas com o novo pacote técnico. Nesta quinta, Massa completou 47 voltas, 15 a menos do que o piloto que mais rodou – Lewis Hamilton, da Mercedes, terceiro colocado.

“O desempenho é importante, mas creio que a durabilidade será a chave da primeira corrida. Infelizmente, não demos tantas voltas quanto gostaríamos, mas foi aceitável para os primeiros dias de teste, considerando todas as mudanças de regulamento”, explicou.

Massa também lembrou que, pela primeira vez na F-1, pilota um carro sem motor Ferrari – antes da escuderia italiana, o brasileiro correu pela Sauber. A Williams é equipada com motor Mercedes, que vem se destacando nos testes e conseguindo melhor desempenho que os carros equipados com propulsores Renault e Ferrari.  “Está sendo ótimo trabalhar com a Mercedes”, resumiu.

Por fim, o brasileiro agradeceu à escuderia pela recepção que obteve em seu primeiro dia. “Todos têm sido gentis e profissionais, estou realmente feliz. Agora, temos muito trabalho para fazer e consertar esses nossos pequenos problemas, mas acho que teremos um bom campeonato juntos”, concluiu.

Massa voltará à pista com a Williams na última sessão de testes de Jerez, nesta sexta-feira. Os dois primeiros dias tiveram o finlandês Valtteri Bottas no cockpit da equipe britânica, fazendo a terceira melhor marca em ambos.

Fonte: UOL

0 342

Em dezembro, Folha publicou que o governo federal devia três meses de Bolsa Atleta, sob a alegação de um problema no contrato com a Caixa, que faz os pagamentos do programa.

Na semana seguinte, o Ministério do Esporte publicou comunicado dizendo que havia pagado duas das parcelas atrasadas.

Em janeiro, o problema voltou à tona. A pasta não pagou novamente os atletas brasileiros. Vários deles entraram em contato com a Folha, mas a principal manifestação veio pelo Facebook.

A nadadora paraolímpica Adriana Azevedo postou foto na qual aparece amordaçada, e cobra o repasse. “Sr. Ministro e Sra. Presidente da República, paguem nossa Bolsa Atleta. Precisamos treinar!”, escreveu em cartaz na foto publicada em sua conta na rede social.

Ela contou que, devido ao atraso, teve de cancelar compromissos atrelados ao esportes e cancelou participação em campeonatos.

O Ministério do Esporte foi procurado mas ainda não retornou o contato daFolha.

Abaixo, a íntegra do texto que Adriana publicou no Facebook:

 

O CIRCO SEM PALHAÇO.
Depois de 1 mês e 10 dias aguardando o pagamento retroativo de todas as parcelas devidas do programa Bolsa Atleta, hoje, dia 29 de Janeiro de 2014 (ano da Copa), recebemos a notícia que será pago apenas UMA parcela.
Uma infinidade de planos cancelados, contas atrasadas, treinamentos parados, vidas in off. E o Ministério do Esporte avisa “Não haverá prejuízo monetário aos atletas, pois quando ocorre qualquer atraso, o ME realiza os pagamentos de forma retroativa”.
Prejuízos incalculáveis!
A grande maioria dos atletas evitam falar por medo de represálias. Mas garanto, que represália maior que essa não existe! 
Pode cessar a voz, mas a atitude não!
Centros de treinamentos para os atletas e paratletas TOP’S são concluídos para o treinamento sem custos e com a melhor aparelhagem e profissionais… Alimentação balanceada, tranquilidade e apoio psicológico. E a ironia maior, é que os atletas que dependem exclusivamente da Bolsa, precisam se desenvolver a todo custo, com seus próprios recursos e esforços para se manter em treinamentos e competições. Alguns fazendo “vaquinhas” entre amigos e familiares, campanhas em semáforos e mendigando apoios em câmaras de vereadores. 
Cadê a Democracia desse país?
Conquistar o Bolsa Atleta, é uma tarefa árdua e sem tréguas. É nossa esperança maior de nos manter no esporte e assim obter nossa melhora de vida, tanto na saúde, quanto profissional.
Bolsa Atleta é um direito conquistado por mérito no esporte. Defendemos nosso Clube, Estado e País… É o mínimo de retribuição que o governo pode fazer pelos paratletas e atletas do Brasil.
Não vou me calar diante de uma parcela… Temos direito ao pagamento retroativo. Isso nos foi prometido!
Ficamos no aguardo de boas notícias…

Fonte: Folha de São Paulo

0 316

A Fifa (Federação Internacional de Futebol) confirmou nesta quinta-feira por meio de sua assessoria de imprensa que entrou em contato com a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para questionar a entidade nacional sobre o imbróglio do Campeonato Brasileiro de 2013, que terminou com a justiça esportiva alterando a classificação final e determinando que a Portuguesa fosse rebaixada à Série B.

A informação de que a Fifa cobrou a CBF foi revelada pelo jornal “Lance!”, que mostra documento no qual é cobrada uma ação mais contundente para evitar desdobramentos na Justiça comum à revelia da decisão do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva).

A Fifa chama a atenção para que a CBF aplique punições aos clubes que acionarem a Justiça comum depois de serem desqualificados na espera esportiva. A  Portuguesa e o Flamengo ainda não entraram na Justiça comum oficialmente como clubes, mas isso tem sido feito por meio de torcedores.

Ambos foram penalizados pelo STJD pela escalação irregular de jogadores na última rodada do Brasileiro de 2013. Eles perderam quatro pontos, e a equipe paulista acabou rebaixada em função disso.

“Podemos confirmar que a Fifa contatou CBF para ter uma atualização sobre a situação mencionada, com referência nesta correspondência com o art. 68 dos Estatutos da Fifa”, respondeu a entidade ao UOL Esporte.

O artigo 68, citado pela assessoria do órgão, é o que proíbe clubes de buscarem soluções fora da esfera esportiva. De acordo com o documento obtido pelo “Lance!”, a Fifa colocou esta sexta-feira como prazo para explicações da CBF.

Entenda a polêmica

A Portuguesa foi punida pela escalação irregular do meio-campista Heverton na última rodada do Campeonato Brasileiro, em empate sem gols com o Grêmio. O jogador entrou no lugar de Wanderson aos 32min do segundo tempo.

Heverton havia sido expulso contra o Bahia e cumprido suspensão automática na rodada seguinte do Campeonato Brasileiro, diante da Ponte Preta. No entanto, ele foi julgado pelo STJD na sexta-feira que precedeu o embate com o Grêmio e pegou dois jogos de suspensão.

Por ter colocado Heverton em campo, a Portuguesa foi punida na Comissão Disciplinar e no Pleno do STJD. A equipe rubro-verde perdeu o ponto conquistado contra o Grêmio e os três que estavam em jogo.

Com isso, o Fluminense, que havia sido rebaixado, permaneceu na Série A. O Flamengo também foi punido com a perda de quatro pontos, mas isso não foi suficiente para que a equipe fosse parar na zona de rebaixamento.

Fonte: UOL

0 364

Um mês depois de grave acidente de esqui que sofreu na estação de Méribel, nos Alpes franceses, Michael Schumacher segue sob os cuidados da unidade de tratamento intensivo do hospital de Grenoble

Grenoble – Os médicos de Michael Schumacher começaram a reduzir os sedativos administrados ao ex-campeão de Fórmula 1, em coma induzido desde que sofreu um acidente de esqui, iniciando o processo de despertar do piloto, anunciou nesta quinta-feira (30/1) a porta-voz do alemão. Os sedativos “estão sendo reduzidos para iniciar um processo de despertar, que pode demorar muito tempo”, informou Sabine Kehm, em comunicado.

“Inicialmente, todas as partes interessadas haviam concordado em não comunicar esta informação médica até que o processo estivesse consolidado, com o objetivo de proteger a família. Não daremos nenhuma informação sobre as etapas intermediarias”, continuou. Na quarta-feira (29/1), a porta-voz classificou como “especulações” as informações da imprensa que falavam em uma saída progressiva do coma do heptacampeão mundial de F1.

Um mês depois de grave acidente de esqui que sofreu na estação de Méribel, nos Alpes franceses, Michael Schumacher segue sob os cuidados da unidade de tratamento intensivo do hospital de Grenoble, no sudeste da França. O alemão foi hospitalizado em 29 de dezembro, após sofrer uma queda e bater com a cabeça numa pedra quando esquiava fora da pista. Ao ser hospitalizado, Schumacher sofria de lesões no cranio “difusas e sérias”, obrigando os médicos a colocá-lo em estado de coma induzido.

Fonte: Correio Brasiliense

0 855

O Flamengo resolveu recorrer à última instância da justiça esportiva mundial para tentar reverter a punição recebida no STJD pela escalação irregular de André Santos na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2013. Na tarde desta segunda-feira, o clube da Gávea enviou um documento à Corte Arbitral do Esporte (CAS), na Suíça, questionando a decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva.

O envio do documento à CAS ocorreu justamente no último dia do prazo para recorrer ao órgão internacional. A corte ainda não tem data para julgar o caso.

A informação foi divulgada pela ESPN Brasil na noite desta segunda e confirmada pela assessoria de imprensa do clube. A diretoria rubro-negra ainda informou que não iria se pronunciar oficialmente e dar maiores detalhes do caso.

No extenso documento, de 28 páginas, o clube ratificou os dois principais argumentos utilizados em sua defesa no julgamento do STJD. O Flamengo alega que não foi informado pela CBF da suspensão de André Santos antes da partida, além de sustentar que o atleta já havia cumprido suspensão automática em partida anterior.

O documento ainda conta com o parecer de escritórios de advocacia especializados em direito esportivo que ratificam as teses do Flamengo.

Relembre o caso
André Santos foi expulso na final da Copa do Brasil, no dia 27 de novembro, pegando um jogo de suspensão. O regulamento prevê o cumprimento da pena em torneios realizados pela mesma entidade, no caso, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol). O lateral não atuou contra o Vitória, jogo imediatamente após conquistar o título, mas entrou em campo no empate por 0 a 0 contra o Cruzeiro um dia após ser condenado a cumprir um jogo. Ambos eram válidos pelo Campeonato Brasileiro.

Punido com a perda de quatro pontos por utilizar o lateral na última rodada do Brasileiro, o Flamengo só escapou do rebaixamento por conta de derrotas no Tribunal de Portuguesa, que também escalou um jogador irregular, e Vasco, que tentou anular a derrota da última rodada por conta da violência na Arena Joinville.

Com a perda dos quatro pontos, o Flamengo terminou o torneio com 45 pontos, um a mais do que a Lusa e ficou em 16º lugar – última colocação fora da zona do rebaixamento.

0 300

Pai e representante de Elias, Eliseu Trindade deixará Portugal ainda nesta semana. Na bagagem do retorno ao Brasil, a indecisão sobre o futuro do filho continua. No entanto, ele ainda diz acreditar em um possível retorno para o Flamengo.

Para isso, Eliseu Trindade disse que Elias recusou até mesmo uma proposta financeiramente mais vantajosa do Shandong Luneng, da China.

” Fiquei 22 dias em Portugal tentando negociar com os dirigentes do Sporting e não chegamos a um acordo. Reforçamos a posição do Elias, que não está medindo esforços para jogar pelo Flamengo. Ontem nos reunimos, tomamos ciência da proposta do clube chinês, que era realmente muito vantajosa financeiramente. Mas prontamente recusamos”, disse o agente, que não escondeu a insatisfação com a demora do clube português em definir a situação.

” Elias está abrindo mão de muita coisa para chegarmos a um acordo, mas o Sporting não define o que pretende. Continuo confiante num desfecho favorável, mas esgotei, por hora, o que poderia fazer em Portugal. Vamos aguardar agora a negociação entre os dois clubes”, reclamou Eliseu, em comunicado divulgado por sua assessoria de imprensa.

Emprestado pelo Sporting ao Flamengo até 31 de dezembro de 2013, Elias teve que voltar a Portugal no início de 2014 após o clube que detém seus direitos econômicos não aceitar a proposta de quatro milhões de euros dos cariocas pela sua compra.

Segundo a imprensa portuguesa, o Rubro-Negro cedeu e ofereceu seis milhões de euros na última segunda-feira. No entanto, o Sporting ainda aguarda até o final da janela europeia (31 de janeiro) para definir a situação. Enquanto isso, o atleta treina no time B e aguarda as conversas para tentar retornar ao Brasil.

Fonte: UOL

0 328

Conhecido no universo de quem malha, o whey protein é um suplemento proteico que faz parte da alimentação de muitos atletas. No entanto, de acordo com uma avaliação da Proteste – Associação de Consumidores, que testou 20 suplementos desse tipo, apenas seis produtos trouxeram os valores corretos de proteína e carboidrato em seus rótulos. Cinco deles têm menos proteínas, treze mais carboidrato e um menos carboidrato do que os indicados nas embalagens.

As maiores variações foram encontradas no Four Whey Protein, fabricado pela Suplemente – Alimentação Avançada, que contém 844% a mais de carboidrato e 34% a menos de proteína. O Triple Matrix Whey NO, da Body Action, tem 320% a mais de carboidrato e 43% a menos de proteína, enquanto o Extreme Whey Protein, da Solaris Sports Nutrition, tem 288% a mais de carboidrato e 30% a menos de proteína.

A legislação permite uma variação de 20% para mais ou para menos nas quantidades dos nutrientes declarados no rótulo. Ainda assim, os 14 produtos reprovados estão fora dos parâmetros legais.

Em nota, a Body Action afirmou que tem um rígido padrão de controle de qualidade e parceria com grande laboratório de análise certificado pela Anvisa. A empresa também destaca que todas as análises e amostras coletadas de cada lote ficam disponíveis no site e podem ser consultadas facilmente pelos consumidores. “Inclusive, temos um laudo feito por outro laboratório, certificado pela Anvisa, referente ao mesmo lote do produto analisado pelo Proteste, onde os resultados não condizem com o que foi apresentado”, finaliza.

Já, a Solaris Sports Nutrition manifestou, em nota, sua discordância com o teste da associação, visto que “todos os produtos fabricados são submetidos a rigorosos testes de qualidade. Até o mês de setembro de 2013, os produtos fabricados pela SOLARIS eram submetidos a análises internas, cujos resultados sempre apontaram a CONFORMIDADE das quantidades de carboidratos e proteínas, sendo que eventuais variações estavam dentro dos limites permitidos pela ANVISA na RDC 360/2003”. Desde setembro de 2013, a empresa passou a realizar testes de qualidade por meio de laboratórios externos, “afim de afastar qualquer dúvida em relação à qualidade dos produtos por si fabricados”.

Procuradas, as outras empresas ainda não se manifestaram sobre o resultado da análise realizada pela Proteste.

O suplemento 100% Whey Gold Standard, da Optimun Nutrition, se saiu bem na análise laboratorial, mas não traz em seu rótulo a frase: “Este produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico”, o que contrataria a determinação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

A ausência da frase também foi encontrada nas embalagens das marcas Elite/Whey Protein Isolate, da Dymatize Nutrition, Four Whey Protein, da Suplemente – Alimentação Avançada, Isofort/Whey Protein Isolate, da Vitafor e 100% Whey Xtreme, da X-Pharma.

As cinco marcas bem avaliadas em todos os itens foram: Top Whey 3W, da Max Titanium, 100% Pure Whey, da Probiótica, Isofusion, da Gaspari Nutrition, Whey Protein Isolate, da Now Sports, e 100% Whey Fuel, da Twinlab.

Foram analisados os rótulos dos suplementos para checar se constavam as informações obrigatórias por lei em alimentos para atletas. E no laboratório, os teores de proteína e carboidrato, comparados com os valores indicados nas embalagens dos produtos.

Embora não traga riscos à saúde, as alterações na composição nutricional podem fazer com que o atleta não alcance o resultado esperado, principalmente se sua dieta estiver calculada em função dos valores nutricionais fornecidos no rótulo.

Por isso, a Proteste enviou os resultados do teste à Anvisa e às Vigilâncias Sanitárias do Rio de Janeiro e São Paulo, pedindo a retirada dos produtos irregulares do mercado. E também enviou ofício aos Procons das duas cidades, pedindo a abertura de procedimento administrativo para adequação das rotulagens.

Fonte: UOL

0 238

O ex-jogador do São Paulo e campeão mundial com a seleção em 1994 Raí, 48, elegeu como maior legado da Copa no Brasil o escancaramento dos problemas sociais e da falta de organização do país.

Raí afirmou em sabatina da Folha realizada na noite de quarta-feira, no MIS (Museu da Imagem e do Som de São Paulo) que a competição servirá para que o mundo descubra o verdadeiro Brasil.

Raí foi o primeiro de uma série de convidados da Folha, que ao longo do primeiro semestre irão discutir sobre os impactos da Copa.

Ele foi entrevistado por Naief Haddad, editor de “Esporte”, Paulo Vinícius Coelho, colunista da Folha, e Bernardo Itri, do “Painel FC”.

TRANSPARÊNCIA

O camisa 10 da seleção de 1994 criticou a organização da Copa por não explicar ao povo suas decisões e citou a ida do do governo britânico à TV para justificar os custos da Olimpíada de Londres-2012 como exemplo que deveria ter sido adotado no Brasil.

“Eles decidem fazer jogo no Amazonas e não tem detalhe. Não foi apresentado estudo. A questão é a falta de transparência, nada foi discutido com a sociedade. Ao contrário do que o Ricardo Teixeira [ex-presidente da CBF] falou, vai ter muito mais dinheiro público do que se imaginava.”

LEGADO

Para Raí, a Copa dará ao Brasil muito menos do que deveria. O ex-jogador lembrou que o país não aproveitou o Mundial para se organizar e nem para construir uma política esportiva. O que fica de positivo são as transformações de que a demonstração pública das mazelas pode provocar.

“Vamos lembrar que o TCU apontou irregularidades no Pan-Americano de 2007 e ninguém foi responsabilizado. O legado pode ser esse: descobrir os podres e mostrar a todos. Esse evento vai mostrar o verdadeiro Brasil para o mundo e para nós também.”

MANIFESTAÇÕES

Segundo o ex-jogador, protestos como os de junho do ano passado podem ajudar a expor ao exterior a insatisfação com a organização da Copa. Raí disse esperar que novas manifestações aconteçam durante a competição.

“Torço para que [manifestações] voltem. Elas estão expondo coisas nossas que não são legais, como a falta de planejamento e a violência, que são constrangedoras, mas isso é bom. O mundo não conhecia esse nosso lado.”

SUCESSÃO DA CBF

Raí criticou a administração do futebol brasileiro, mas negou intenção de um dia presidir a entidade e preferiu lançar o amigo Leonardo, seu parceiro em 1994 e sócio na Fundação Gol de Letra, como exemplo para comandar a CBF.

“Uma pessoa que tem esse desejo, mas não para agora, é capaz e inteligente é o Leonardo. Se a gente quer mudança, precisamos de nomes assim, de coragem. No mínimo, as coisas não ficariam iguais.”

BOM SENSO

O antigo capitão da seleção parabenizou o Bom Senso FC, movimento que conta com mais de mil jogadores e tenta conter os excessos de jogos.

“O Bom Senso já é uma realidade. Ele vai chegar longe, vai conseguir mudar o calendário, vai fazer um candidato da CBF defender suas causas. Espero que daí saia um movimento que transforme o sistema a médio prazo.”

SELEÇÃO

Segundo Raí, o Brasil só é um dos favoritos para ganhar a Copa porque joga em casa e tem em Felipão um técnico que vai conseguir transmitir aos jogadores a emoção de disputar um Mundial em casa.

“Digo que, se a Copa não fosse no Brasil, o Brasil não ganharia. Não por falta de jogadores, mas porque tem uma Alemanha, uma Espanha e uma Argentina à frente. Mas estamos jogando no Brasil, entra a magia e a paixão. O que o Brasil correu naquela final [da Copa das Confederações] contra a Espanha, nenhum preparador físico consegue explicar. O Felipão soube jogar com as manifestações, e os caras entraram em campo como se fossem representantes de tudo aquilo que estava acontecendo.”

Fonte: Folha

0 347

MADRI, 22 Jan (Reuters) – O juiz espanhol Pablo Ruz aceitou nesta quarta-feira ação contra o presidente do Barcelona, Sandro Rossell, pelo suposto crime de apropriação indébita na contratação do atacante Neymar.

“Tudo o que foi indicado anteriormente leva a estimar a priori como verossímil a classificação dos fatos relatados na denúncia… como constitutivos de um possível crime de apropriação indébita do artigo 252 do Código Penal”, disse o juiz na decisão.

Neymar foi o principal reforço do time catalão para a atual temporada, e o clube afirmou ter investido 57,1 milhões de euros para contratar o brasileiro.

No entanto, os detalhes do contrato são cercados de mistério, e um sócio do clube, Jordi Cases, apresentou a denúncia por não ter recebido do Barcelona informações solicitadas.

O Ministério Público espanhol pediu neste mês uma investigação sobre o pagamento de 40 milhões de euros a uma empresa do pai de Neymar.

Agora, o juiz acatou o processo e solicitou informações à Fifa, a Neymar, ao Santos e ao Barcelona, assim como um relatório de especialistas da Deloitte, a empresa que elaborou as auditorias sobre as contas do clube.

Por enquanto, o juiz não convocou Rossell. O dirigente nega irregularidade e se ofereceu a testemunhar perante o juiz, para não ter que revelar cláusulas de confidencialidade que outras pessoas o pediram para assinar.

(Por Emma Pinedo)

FIQUE CONECTADO

post