Início Tags Posts tagged with "segurança"

segurança

0 188

Matéria de responsabilidade do Gabinete do vereador Professor Silvano

O vereador Professor Silvano apresentou Projeto de Lei, que tem como objetivo garantir a segurança das pessoas que utilizam os bancos fora do horário bancário, reduzindo o risco de explosões e roubos a caixas eletrônicos e também garantir a segurança dos trabalhadores da área de vigilância bancária, estabelecendo a manutenção de serviços de segurança privada, prestados por profissionais dessa área em situação regular, de acordo com a legislação vigente e de forma ininterrupta, durante as 24 horas do dia, nas áreas destinadas aos caixas eletrônicos das instituições financeiras e/ou de crédito.

Cabe destacar que o roubo a caixas eletrônicos vem substituindo os assaltos a bancos e a fragilidade do sistema de segurança bancária, especialmente no que diz respeito à preservação da vida e da saúde, expõe os bancários, seus familiares, os servidores da área de vigilância, clientes e das proximidades a risco de morte, sequestros relâmpagos, roubos aos aposentados, traumas, marcas e sequelas, que poderão refletir futuramente sobre a saúde física e mental de quem se torna vítima da violência.

Para o cumprimento da lei e a execução da atividade proposta de forma eficaz, são necessários no mínimo 02 (dois) vigilantes por turno para cada local, afirma o Vereador Valparaisense Professor Silvano, autor da propositura.

0 1094

Por Danilo Pinto

Mais um roubo a comércio em Wagner-BA, desta vez na Lopes Calçados, no Centro da cidade.

Envolta em uma onda de roubos, Wagner parecia respirar, mas a trégua durou pouco. Na madrugada desta segunda (28) bandidos arrombaram o teto da Lopes Calçados, no Centro da cidade e levaram mercadorias, além de causarem avarias no imóvel e na mobília.

Recentemente, mesmo não gerando repercussão na mídia, um outro comerciante foi assaltado. O comerciante reconheceu os bandidos e teria dado queixa à mãe dos delinquentes. Em represália, os marginais retornaram ao estabelecimento, que fica no bairro do Egito, e agrediram o proprietário, causando revolta em familiares e amigos.

Diante de tantos casos de roubos e assaltos, de agressão a idosos durante assaltos, a sociedade não percebe qualquer ação do Poder Público, no sentido de reforçar a segurança ou coibir estes atos criminosos. Apenas uma Delegada e dois policiais atuam lotados em Wagner, o que já seria insuficiente. Para piorar a situação, esta mesma delegada responde por várias cidades ao mesmo tempo, dificultando o acesso dos moradores, em caso de emergência policial.

Enquanto governantes dormem, a sociedade paga o pato da falta de representação e do descaso. Até quando?

0 929

Por Danilo Pinto

Onda de violência em Wagner, na Chapada Diamantina, Bahia, segue aterrorizando moradores e dificultando o funcionamento das instituições. Além dos boatos, que causam pânico, situações reais tem tirado o sossego da população. Na madrugada de domingo para segunda, a agência dos Correios da cidade sofreu o segundo arrombamento em poucas semanas. Mal reabriu após sofrer um roubo no final de abril, a agência voltou a ser fechada desde segunda (15), ao ser novamente arrombada e saqueada.

A agência, que funciona como Banco Postal, tem sido alvo de diversas investidas de marginais e desde a reabertura no início deste mês, já não realizava mais operações que exigissem movimentações financeiras. Único posto de atendimento do Banco do Brasil na cidade, já havia deixado os milhares de clientes do BB que moram na cidade sem opção, a não ser se deslocar para municípios vizinhos, em busca de atendimento.

Após mais este roubo, a população teme que a agência seja fechada em definitivo e espera pela reabertura para saber se suas encomendas estarão ainda disponíveis ou se terão sido saqueadas pelos bandidos. Certo é que a situação segue fora de controle e o município não conta com efetivo policial suficiente para inibir as ações cada vez mais ousadas dos bandidos.

Ainda na manhã de segunda, foi relatada uma tentativa de assalto a supermercado. Na mesma manhã, a Polícia Militar prendeu um marginal e apreendeu um veículo roubado, drogas e armas no ventro da cidade. Pelo menos três bandidos conseguiram fugir da abordagem e conseguiram se evadir.

Na sequência desta ação da polícia, o boato de tiroteio no centro da cidade e a falsa notícia da morte de um suspeito na troca de tiros com a polícia causou pânico mais uma vez. Mais tarde ficou evidente ser um boato, que no mínimo contribuiu para aumentar a sensação de insegurança.

Aviso segue fixado na porta da agência dos Correios, “fechada por motivo de força maior”.

0 2677

Por Danilo Pinto

Uma onda de assaltos e roubos a residências assusta moradores da cidade de Wagner – BA. Historicamente calma e tranquila, a pequena cidade de 10 mil habitantes enfrenta um surto de violência nas últimas semanas e coloca moradores em alerta.

Apenas na noite desta terça-feira (09), foram registrados dois assaltos consumados, um arrombamento a comércio, uma tentativa de arrombamento a residência e uma troca de tiros. Segundo informações de moradores, os assaltos teriam sido realizados por homens armados. Nas semanas anteriores os alvos foram residências, que foram arrombadas e saqueadas pelos marginais.

Um morador contou à nossa redação ter se deparado com um suspeito, que teria sacado uma arma de fogo da cintura no meio da rua. Assustado, o morador que não quis se identificar, disse ter baixado a cabeça e esperado pelo pior, mas o elemento teria guardado a arma de volta e seguido em frente.

O município conta com apenas dois policiais militares efetivos, o que torna impossível à Polícia Militar garantir a proteção da população. Hoje, diante dos registros assustadores da noite passada, um efetivo de reforço da PM apareceu para auxiliar, mas se não permanecerem, a situação tende a se intensificar, já que a sensação de impunidade estimula a prática criminosa.

A onda de violência está inclusive estimulando uma possível mudança no horário das sessões da Câmara de Vereadores, já que o Presidente da Casa Legislativa Municipal não se sente seguro em se deslocar tarde da noite para sua residência no distrito de Cachoeirinha. Se até as autoridades buscam se esconder, com medo dos bandidos, o que será do cidadão comum, desprovido de qualquer recurso de segurança? Acuados, os moradores se impõem um toque de recolher voluntário, na esperança de que as autoridades tomem providências para restabelecer a ordem no município.

0 351
Por Danilo Pinto

Por Danilo Pinto

Segundo denúncia que chegou à Tribuna da Ride, a Delegacia de Polícia Civil da Etapa B está atuando com apenas dois agentes. Diante do abandono do estado de Goiás, a diminuta equipe enfrenta grandes dificuldades para solucionar casos, como o do assassinato do empresário Eudes Júnior, na última quarta-feira.

A sensação de insegurança que tomou conta da população de Valparaíso é resultado da completa falta de atuação do Governador Marconi Perilo (PSDB) na região do Entorno de Brasília. Além da falta de agentes da Polícia Civil, o efetivo da Polícia Militar equivale a um quinto do mínimo necessário para atender às demandas da cidade.

Não bastasse faltar policiais, os poucos que atuam em Valparaíso sofrem com a falta de recursos básicos, como armamentos, munição e combustível para viaturas.

Mesmo diante do caus da segurança pública em Valparaíso, defensores do Governador Marconi Perilo e da deputada licenciada Leda Borges insistem em culpar a prefeitura, mesmo sabendo que estas são atribuições do estado. Conversamos com a prefeita Lucimar, que rebateu as críticas, lembrando que em sua gestão a prefeitura construiu uma delegacia e entregou à Polícia Civil, como forma de ajudar a melhorar a segurança. Além disso, informou ainda que desde o início de sua gestão ela dobrou o valor pago em horas extras, para que policiais militares cumpram uma jornada extra, ampliando assim o número de homens na rua.

A esperança da população é que o Governador disponibilize para Valparaíso, um bom número dos novos policiais que estão em formação.

 

0 483
Por Danilo Pinto

Por Danilo Pinto

Após mais um latrocínio no bairro Parque Esplanada I, em Valparaíso de Goiás, populares realizaram uma manifestação na BR 040, pedindo segurança e paz.

Organizado por moradores do Condomínio Green Park II e dos bairros Parque Esplanada I e Cidade Jardins, a manifestação teve o objetivo de chamar a atenção da sociedade para o abandono das cidades do Entorno de Brasília, expostos à violência e à falta de segurança.

Dentre as reivindicações, moradores cobraram a criação da Guarda Municipal, melhoria na iluminação pública e principalmente, reforço do policiamento.

Valparaíso conta com apenas 30 policiais por dia, em média, para cuidar da segurança de 200 mil habitantes. Seria necessário pelo menos 5 vezes este efetivo, para se atingir o mínimo necessário para atender às necessidades da população. Apesar de a população crescer assustadoramente, nenhum investimento tem sido realizado pelo governo estadual, que é o responsável pela segurança pública, mas nem mesmo a reposição de policiais mortos ou aposentados tem realizado.

Muito além da falta de policiais, a quantidade de viaturas é insuficiente para a demanda e segundo denúncias, muitas vezes não saem do Batalhão por falta de combustível, além de faltar munição para os policiais poderem ir para a rua em alguns momentos.

Um diferencial desta manifestação é que ela não interrompeu o trânsito como um todo, mas revezou o fechamento das pistas de forma alternada, permitindo que o trânsito tivesse fluidez. Segundo a organização, o objetivo era chamar a atenção da população e não causar transtornos.

Pacífica e organizada, a manifestação foi acompanhada de perto pela Polícia Rodoviária Federal e pela Via 040, empresa que administra a rodovia, ambas empenhadas em garantir a segurança de todos. Os manifestantes cumpriram rigorosamente os prazos acordados com as autoridades, desocupando a via às 19:30, após uma hora e meia de ato.

0 370

A Associação de Moradores e Comerciantes do Parque Esplanada I (ASMOCOPE I) realizou reunião com moradores, para discutir o programa Vizinhança Solidária, implantado no bairro em meados de 2015, em parceria com a Polícia Militar.

Como convidado especial, o Comandante do 20º Batalhão de Polícia Militar em Valparaíso de Goiás, Tenente Coronel Danilo Braga, conduziu a palestra sobre comportamento e segurança. Braga falou das dificuldades enfrentadas pela PM, por conta da falta de efetivo e convocou os moradores a unirem forças em torno da luta por segurança. Segundo informou, o projeto Vizinhança Solidária já está em pleno funcionamento em todo o mundo, apresentando resultados fantásticos.

Basicamente, o programa consiste em promover a integração entre vizinhos e destes com a PM. Através de grupos de Whatsapp, a PM conta com apoio dos moradores, que utilizam os grupos para denunciar crimes e atividades suspeitas, permitindo à força policial antecipar a ação de combate ao crime.

O presidente da Associação, José Lima, chamou a atenção para a importância de a vítima de crimes registrar ocorrências. Segundo relatou, a polícia trabalha com estatísticas, para definir as áreas que precisam de maior proteção policial. Como os moradores não possuem o hábito de denunciar e fazer o BO, fica a impressão de que o bairro é tranquilo e portanto, não necessita de muita proteção.

A ASMOCOPE I busca ampliar o alcance do programa, que já apresenta resultados significativos. Segundo o morador Danilo Pinto, que é um dos organizadores e coordenadores do projeto no bairro, já é possível registrar uma queda nos índices de criminalidade. “Antes eram registradas diversas ocorrências de assalto a comércio e desde a implantação do projeto, este tipo de crime praticamente foi extinto. O bandido percebe que está sendo vigiado e acaba desistindo da ação criminosa”. Afirmou Danilo.

Para Danilo Pinto, a participação dos moradores é essencial para que o programa funcione plenamente. “A gente tem lutado para motivar os moradores a acreditarem no projeto. Não é uma tarefa simples, principalmente por não conhecermos nossos vizinhos o suficiente para que possamos aborda-lo. Mas com muita determinação e a certeza de estarmos no caminho certo, estamos conseguindo”. Relatou.

A Prefeita Lucimar Nascimento também participou da reunião e em sua fala, lembrou que apesar da falta de investimento do estado de Goiás nas polícias, o seu governo tem contribuído para a segurança pública. Segundo Lucimar, mesmo não sendo obrigação do município, a prefeitura paga hora extra, para que policiais possam atuar por mais tempo, ampliando o número de homens ativos nas ruas.

Lucimar lembrou ainda que além de fornecer imóvel e infraestrutura para a Delegacia da Mulher, construiu uma delegacia inteira para que a Polícia Civil pudesse atuar com mais eficiência.

Também estiveram presentes os pré-candidatos a prefeito de Valparaíso, Ricardo Viana do PDT e Dr. Roberto Martins, do PT, que inclusive é morador do Parque Esplanada I. Outra presença de destaque foi a do vice-presidente da Associação de Moradores da Cidade Jardins, Vanderli Fernandes e de representante de comerciantes do bairro vizinho, que vieram conhecer o projeto. Ambos estão empolgados para levar o Vizinhança Solidária também para o Cidade Jardins, ampliando o alcance do programa.

Curta Tribuna da Ride do Facebook e fique por dentro das notícias da sua cidade.

0 417
Por Danilo Pinto

Por Danilo Pinto

Moradores do bairro Parque Esplanada I, em Valparaíso de Goiás, adotaram o programa Vizinhança Solidária da Polícia Militar de Goiás. O Vizinhança Solidária já foi implantado nas Etapas B, C e D e reduziram a criminalidade em 70%, segundo dados oficiais.

Após uma crescente no índice de roubos a residências, comércio, veículos e pedestres, os moradores do Parque Esplanada I, através da Associação de Moradores, em parceria com a Polícia Militar, iniciaram a implantação do programa Vizinhança Solidária.

O programa funciona da seguinte forma: Os moradores se organizam em grupos nas redes sociais, em parceria com a Polícia Militar. Qualquer atividade suspeita que for visualizada, é imediatamente informada nos grupos. As viaturas que atendem a região fazem parte do grupo e desta forma, podem surpreender os criminosos em plena ação. Além disso, um banner com os telefones das viaturas está sendo afixado nas casas, tornando mais rápido e eficiente o contato com a polícia. Este banner pode ser adquirido na Associação de Moradores, ao preço de R$ 6,50. O valor, segundo informou o presidente da Associação, José Lima, é apenas repasse do que foi pago para confeccionar as placas. A associação conseguiu negociar um valor abaixo do mercado para produção em maior quantidade, facilitando assim a aquisição pelos moradores e comerciantes.

O crime mais praticado no bairro é o roubo a residências, no qual, aproveitando a ausência dos proprietários, bandidos encostam um caminhão e simulam uma mudança, levando tudo que encontram de valor. Com a interação nos grupos, os moradores passam a se conhecer e vigiar o que acontece na vizinhança. Qualquer elemento suspeito ou atividade estranha é comunicada nos grupos e o tempo de ação dos bandidos é encurtado, quando não eliminado.

O Comandante da Polícia Militar em Valparaíso de Goiás, Tenente Coronel Danilo Braga coordena pessoalmente o projeto e monitora toda a movimentação nos grupos, garantindo a presença da PM aonde ela for solicitada.

Conversamos com comerciantes e moradores do bairro, um mês após a implantação do programa e todos declararam sentir uma redução da presença de marginais. Além disso, saber que algo está sendo feito para conter a violência causa na população um sentimento de segurança, que motiva a todos.

A notícia do Vizinhança Solidária se espalhou e outros bairros próximos já fizeram contato, pedindo para aderir. Reuniões estão sendo agendadas para tratar da ampliação do programa para a Cidade Jardins, através de parceria com a Associação de Moradores daquele bairro. Lideranças do bairro Morada Nobre e do Parque Rio Branco também fizeram contato com o líder comunitário Danilo Pinto, buscando informações para adotarem o programa.

Mas segurança não é só polícia nas ruas e a Prefeitura de Valparaíso de Goiás é uma parceira de grande importância. A Secretária de Desenvolvimento e Infraestrutura Urbana, Cynthia Borges, participa ativamente do projeto e é responsável por garantir as áreas públicas limpas e ruas bem conservadas, facilitando o trabalho da polícia e eliminando esconderijos em potencial para criminosos.

Como se vê, uma grande coalizão, sob a tutela do Tenente Coronel Danilo Braga, está mudando a forma como se faz segurança pública e a participação de toda a comunidade é o caminho para tornar o bairro mais seguro e aproximar as pessoas, tornando a convivência mais agradável e segura para todos.

segunda logo

Para anunciar ligue 61 8101-7091 8602-9409 9863-2203

Para anunciar ligue 61
8101-7091
8602-9409
9863-2203

0 489
Por: Clarindo Moura

Por: Clarindo Moura (clique na foto para conhecer o autor)

As pessoas aqui não estão cobrando segurança pública de quem tem o poder de resolver, que é o governador de Goiás; o Sr. Marconi Perilo. VEJA O QUE DIZ NO ARTIGO 144 DA CF E DO PACTO FEDERATIVO/2014.

Art. 144. A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos:
§ 5º Às polícias militares cabem a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública; aos corpos de bombeiros militares, além das atribuições definidas em lei, incumbe a execução de atividades de defesa civil.
§ 6º As polícias militares e corpos de bombeiros militares, forças auxiliares e reserva do Exército, subordinam-se, juntamente com as polícias civis, aos Governadores dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios.
PACTO FEDERATIVO – Os Governos Estaduais e do Distrito Federal realizam a segurança pública direta, organizando e mantendo o policiamento ostensivo, que é realizado pela Polícia Militar, formada por policiais uniformizados, facilmente identificados, de modo a criar na população uma percepção de segurança. É de competência dos estados ainda manter e organizar a Polícia Civil e os órgãos técnicos de investigação dos crimes comuns.

O governador é quem deve fazer os concursos públicos; preparar e capacitar os policiais; distribuí-los mediante as necessidades por todos os municípios. Em Goiás são 240 municípios. Aqui em Valparaíso de Goiás, há 18 anos quando tínhamos uma população de 80 mil habitantes o efetivo da PM era de 180 Policiais Militares; hoje estamos quase com 200 mil habitantes e o efetivo caiu para menos de 100 policiais militares; coincidência ou não, mas é exatamente o tempo de mandato que o atual governador está no poder. De lá pra cá tem sido reduzido assustadoramente o efetivo da polícia quer seja civil ou militar.

Elegeu-se uma deputada estadual (Lêda Borges – PSDB) para ser a interlocutora da população com o governador e nada tem sido feito a favor de melhorar a segurança pública em nossa cidade. Sem a presença de policiais suficientes nas Ruas não há como ser combatida a violência. Acho que as pessoas precisam conhecer e cobrar do governador e dessa tal deputada aí; que até o povo anda falando que ela virou secretária do governador e mesmo assim não fez nada pela segurança de nossa cidade.

(Clarindo Moura – Especialista em segurança pública)

O Democrata 29,5x26,5

0 672
Por Danilo Silva Pinto

Por Danilo Silva Pinto

A sensação de insegurança cresce a cada dia no Parque Esplanada I, em Valparaíso de Goiás. A quantidade de assaltos a residências, veículos e estabelecimentos comerciais cresce e a situação parece fora de controle.

A ausência do governo do estado de Goiás em Valparaíso já se faz sentir no Parque Esplanada I e região de condomínios na divisa com o Setor de Chácaras Ypiranga. O volume crescente de crimes neste bairro assusta moradores e começa a esvaziar o bairro. Uma simples volta pelas ruas é o suficiente para se constatar a quantidade de casas à venda.

Somente na última semana, dois assaltos a supermercados, tentativas em mais dois. Assalto a usuários de academias, carros tomados de assalto à luz do dia, residências invadidas, perseguição policial e troca de tiros, transformaram o outrora pacato Parque Esplanada I em cenário do Velho Oeste.

Refém da falta de atuação do Governador Marconi Perillo (PSDB), que virou as costas mais uma vez para o Entorno de Brasília, logo após conseguir os votos de que precisava, a população tenta encontrar alternativas. O comércio fecha as portas cada vez mais cedo e os funcionários não se sentem seguros para permanecer dentro das lojas. É comum a cena de funcionários conversando nas calçadas, observando atentamente o movimento nas ruas.

Infelizmente, Leda Borges (PSDB), que foi eleita deputada estadual com a promessa de defender Valparaíso de Goiás, negociou o mandato para um suplente de Goiânia, que sequer conhece Valparaíso. Os moradores da cidade, que sonhavam em ter uma deputada para defendê-los, assistem o crescimento da violência, com a sensação de poderia ter sido diferente, se Leda cumprisse suas promessas e seus compromissos políticos.

Moradores e comerciantes vão se reunir com a Polícia Militar para discutir formas de ampliar a segurança no bairro. Um dos grandes desafios é encontrar uma fórmula, pela qual o Comandante da Polícia Militar em Valparaíso de Goiás, consiga atuar no bairro, sem investimentos do governador em viaturas e policiais.

segunda logo

FIQUE CONECTADO

post